INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE MALANJE ACOLHE A APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA CHEVENING DE BOLSA DE ESTUDOS PARA MESTRADOS DA EMBAIXADA BRITÂNICA EM ANGOLA

O Instituto Superior Politécnico de Malanje (ISPM) abraçou o programa de divulgação de Bolsas de Estudo para Mestrados CHEVENING, da Embaixada Britânica em Angola, no dia 15 de Agosto do ano em curso, num acto presidido pelo Digníssimo Director do Instituto anfitrião, Professor Doutor Eduardo Ekundi Valentim, PhD. acompanhado do Digníssimo Director do Instituto Superior Técnico Agro-Alimentar de Malanje e Coordenador da Comissão de Gestão da Escola Superior Politécnica de Malanje, Engenheiro Guilherme Gonçalves Pereira, PhD. e que contou com a presença da responsável da área de bolsas de estudos para Mestrados Chevenig, Doutora Marina Guimarães Ybanez, ela que levou ao esclarecimento dos presentes, entre estudantes e docentes das distintas unidades de ensino superior da província de Malanje, detalhes sobre o programa em causa.

Durante o seu discurso de abertura, o Digníssimo Director do Instituto Superior de Malanje, Professor Doutor Eduardo Ekundi Valentim, PhD. sublinhou o carácter importante do programa, encorajando à comunidade estudantil presente a candidatar-se, visando o seu valor e oportunidade de desenvolvimento.

Destacam-se como pontos principais do programa, dentre outros, a definição do programa de formação, os destinatários, os requisitos para a participação ao programa de formação e factores de exclusão, número de bolsas disponíveis para o país, bem como critérios de financiamento.

CRITÉRIOS DE ACESSO
A responsável da área de formação, Doutora Marina Guimarães Ybanez, definiu Chevening como um Programa Global de Bolsas de Estudo do governo Britânico, financiado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros Britânico (FCO) e organizações parceiras, e é acessível em mais de 160 países e territories. Como condições, apresentam-se a necessidade de ser cidadão de um país eligível à bolsa de estudo Chevening, não possuir nacionalidade Britânica nem nacionalidade dupla Britânica; possuir uma licenciatura com um resultado mínimo de 14 valores, ter pelo menos dois anos de experiência de trabalho, não ter previamente recebido qualquer fundo do governo Britânico para estudar no Reino Unido , não estar a trabalhar (ou ser familiar de um funcionário) para o Governo Britânico, um parceiro ou patrocinador de uma Universidade Britânica.

COBERTURA
Quanto à abrangência, afirmou que as bolsas financiavam um ano de curso de mestrado em qualquer área e em qualquer universidade no Reino Unido. A bolsa de estudos Chevening cobre propinas a 100% (MBAs até £18,000), subsídio a uma taxa fixa (por pessoa), bilhete de avião de ida e volta, custos de visto e subsídio adicional para cobrir despesas essenciais.

ANGOLANOS FORMADOS PELO PROGRAMA
Como exemplo de pessoas que beneficiaram deste projecto, apresentam-se de entre outros, o Dr. Joaquim do Espírito Santo, antigo titular da pasta de Director do Mirex (Ministério das Relações Exteriores), Dr. Job Graça Ex- Ministro do Plano, João Bernardo de Miranda, antigo Governador da província do Bengo, e o mais recente beneficiário deste projecto, Dr. Arnaldo Vieira.

CANDIDATURAS
As candidaturas estão abertas desde o dia 06 de Agosto do ano em curso e vão até ao dia 06 de Novembro de 2018, às 12 horas, horário local, através da plataforma www.chevening.org/angola. Para informações adicionais, aconselhou aos interessados a acederem o Alphagram, ou ainda mediante os endereços: Chevening.org/subscribe; pic.twitter.com/pa3E58ZiQ8 e Twitter.com/cheveningfco.

Os participantes, num ambiente interactivo, apresentaram questões como o factor língua, número de bolsas para a província, necessidade de comprovativo de experiência de trabalho, caso trabalha por conta própria, número de formados pelo projecto e áreas de formação, ao que respondeu dizendo que o domínio aceitável da língua inglesa é um factor chave para o projecto de formação; sobre o número de bolsas para a província, afirmou que as bolsas não eram distribuídas por províncias, sim pelo país, e que estão disponíveis dezanove (19) bolsas para o país, sete das quais são financiadas pela empresa petrolífera BP. Sobre os potenciais candidatos a bolsa de estudos Chevening que trabalham por conta própria, defendeu dizendo não haver problema algum, e sobre o número de benefiários deste projecto, afirmou serem já 60 beneficiários deste projecto, desde a entrada em vigor do referido programa no território angolano. Justificou igualmente a escolha da província de Malanje para este esclarecimento, dizendo que o objectivo é torná-lo num âmbito nacional e menos restritivo. Sobre as áreas, citou de entre outras as áreas de Saúde, Educação e Engenharia, Economia.

O Digníssimo Director do Instituto Superior Técnico Agro-Alimentar de Malanje, Engº. Guilherme Gonçalves Pereira, PhD. classificou o projecto como uma mais valia para o país no geral e em especial para a província de Malanje, pois, tratando-se de um país de referência e mais ainda pelo estado económico e financeiro do país, surge como uma grande oportunidade de melhoria para a qualidade da prestação dos técnicos ambrangidos pelo referido programa.

  • Texto: G.C.I. - Damião da Silva
  • Fotografia: Pedro Júlio Tembo Zau
  • Diagramação: Adilson Figueira
  • 15/08/2018
  • ISPM