Modo de actuação

Para resolver os problemas da profissão, o Licenciado em ciências Farmacêuticas precisa da investigação científica. Este modo de actuação não é limitado apenas aos profissionais que desenvolvem o seu trabalho nos centros de investigação. Os farmacêuticos que trabalham em centros de produção ou de serviços devem realizar tarefas destinadas ao melhoramento de aspectos do processo produtivo, obter novos produtos ou matérias primas, desenvolver novas técnicas de análise, elaborar normas e métodos de controlo da qualidade e realizar outras investigações de carácter aplicativo.

Áreas de acção

A essência do objecto de trabalho do farmacêutico é das suas áreas de acção, nomeadamente: as Ciências Biomédicas, a Química Farmacêutica, a Tecnologia Farmacêutica, a Análise Farmacêutica, a Biofarmácia, a Biotecnologia, os Serviços Farmacêuticos e a Educação.

Esferas de actuação

O Farmacêutico pode desenvolver as suas funções na indústria Farmacêutica e Biotecnológica, na indústria dos Cosméticos, no controlo dos medicamentos e na avaliação Farmacológica da sua acção, ao actuar em equipas multidisciplinares com outros profissionais.

Área de acção exclusiva do Farmacêutico é: o Serviço Farmacêutico: Comunitários e Hospitalares, devido ao facto de ser o único profissional com a formação requerida, para interactuar com os outros membros da equipa de saúde, como máximo responsável do medicamento.

Perfil de entrada

Definição dos requisitos necessários para acesso ao curso.
Os aspirantes, não deveram ficar mais de 5 anos fora do sistema de ensino.
Aspirantes relacionados com as áreas químicas.
Aspirantes relacionados com as áreas biológicas.

Perfil profissional de saída

Definição das competências adquiridas no final do curso.

Objecto fundamental do trabalho do licenciado em Ciências Farmacêuticas

O objecto do trabalho do farmacêutico é o medicamento, os seus componentes, sua elaboração, sua acção farmacológica e sua isenção.

Para precisar este conceito tão geral é válido dizer que o farmacêutico obtém e caracteriza substâncias de interesse terapêutico, sejam sintéticas ou de origem natural, desenha e desenvolve os medicamentos em diferentes formas farmacêuticas e estabelece os sistemas de garantia da sua qualidade para satisfazerem as normas estabelecidas internacionalmente da maneira mais económica e sem alterar o médio ambiente; avalia a acção farmacológica através de estudos pré-clínicos e clínicos, sua bio distribuição, toxicidade e seu uso racional.

Trabalha direitamente vinculado aos serviços de saúde e faz parte da atenção primária da saúde, devido a que é estreitamente vinculado com o médico e o paciente, administra a unidade de saúde e ė o máximo responsável da isenção do medicamento.

Os problemas do farmacêutico são encaminhados a 4 vertentes fundamentais, que são derivadas não apenas dos requerimentos da profissão, mas também dos próprios da época e especialmente dos que são imprescindíveis para o desenvolvimento de um profissional no quadro específico do nosso país, nomeadamente:

A necessidade de novos fármacos e medicamentos.
A necessidade de conhecer as suas acções farmacológicas, sua fármaco cinética e suas toxicidades.
A aplicação das tecnologias de elaboração e métodos de análise dos medicamentos, mais modernos e confiáveis, os quais permitam a obtenção de medicamentos eficazes e seguros, ao menor custo possível e sem dano.
A adequada garantia do uso racional dos medicamentos nos serviços farmacêuticos.

Para isso, no século XXI resulta indispensável a utilização intensiva das novas tecnologias da informação que permitem realizar essas tarefas com uma eficiência muito mais alta, com as quais a informatização para as ciências Farmacêuticas constitui uma parte consubstancial da formação do profissional.